A Cura da Mente


A cura da Mente

E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Rm.12.2.

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos, em Cristo Jesus. Fp..4.7

Quando falamos de curas divinas logo nos vem a mente paralíticos e cegos e outras doenças como câncer e etc. Mais existem outras  doenças que também precisam ser curadas e são curadas por nosso Senhor Jesus que não são perceptíveis a olho nu, mais que trazem muito problema nas igrejas, e elas são as doenças mentais.
Um estudo mais detalhado vai mostrar o por que de tanto conflitos nas igrejas entre as pessoas, uma vez que falamos de relacionamentos humanos, a mente é importante.
Veremos alguns destes casos a seguir

·         Transtornos de Personalidade

·         Transtorno de personalidade caracterizado por um desprezo das obrigações sociais e a falta de empatia para com os outros. Há um desvio considerável entre o comportamento desses indivíduos e as normas sociais estabelecidas.
·         O comportamento não é facilmente modificado pelas experiências adversas, inclusive pelas punições. Existe uma baixa tolerância à frustração e um baixo limiar de descarga de sua agressividade, inclusive da violência.
·         Existe uma tendência a culpar os outros ou a fornecer racionalizações plausíveis para explicar um comportamento que o leva a entrar em conflito com a sociedade.
·         Transtorno de personalidade caracterizado pela tendência nítida em agir de modo imprevisível, sem consideração pelas consequências, com humor imprevisível e caprichoso, tendência a acessos de cólera e uma incapacidade de controlar os comportamentos impulsivos, tendência a adotar um comportamento briguento e a entrar em conflito com os outros principalmente quando os atos impulsivos são contrariados ou censurados.
·         O indivíduo apresenta também perturbações da autoimagem, uma sensação crônica de vacuidade, relações interpessoais intensas e instáveis e uma tendência a adotar um comportamento autodestrutivo, compreendendo tentativas de suicídio ou gestos suicidas.

Transtorno da personalidade caracterizado por um retraimento dos contatos sociais, afetivos ou outros, preferindo a fantasia, atividades solitárias e a reserva introspectiva; apresentando uma incapacidade de expressar seus sentimentos e a experimentar prazer.

·         A característica essencial do Transtorno da Personalidade Narcisista é um padrão invasivo de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia.
·         Os indivíduos com este transtorno têm um sentimento grandioso de sua própria importância. Eles rotineiramente superestimam suas capacidades e exageram suas realizações, frequentemente parecendo presunçosos ou arrogantes. Eles podem presumir que os outros atribuem o mesmo valor a seus esforços e surpreender-se quando não recebem o louvor que esperam e julgam merecer. Um menosprezo (desvalorização) da contribuição dos outros está frequentemente implícito na apreciação exagerada de suas próprias realizações.
·         A vulnerabilidade da autoestima tornam os indivíduos com Transtorno da Personalidade Narcisista muito sensível a "mágoas", por críticas ou derrotas. Embora possa não demonstrar abertamente, as críticas podem assolar esses indivíduos e levá-los a se sentirem humilhados, degradados e vazios.
·         Sua reação pode ser de desdém, raiva ou contra-ataque afrontoso. Essas experiências frequentemente o levam a um retraimento social ou a uma aparência de humildade que pode mascarar e proteger sua grandiosidade. As relações interpessoais tipicamente estão comprometidas pelos problemas resultantes do sentimento de intitulação, da necessidade de admiração e do relativo desrespeito à sensibilidade alheia.

·         Transtorno da personalidade caracterizado por uma sensibilidade excessiva face às contrariedades, como a recusa de perdoar os insultos, o caráter desconfiado, tendência a distorcer os fatos interpretando as ações imparciais ou amigáveis dos outros como hostis ou de desprezo, suspeitas injustificadas a respeito da fidelidade do parceiro sexual e um sentimento combativo e obstinado a favor de seus próprios direitos.
·         Pode existir uma superavaliação de sua auto importância, havendo frequentemente auto referência excessiva.

Não é só a questão espiritual que tem contribuindo para inimizades, mais pessoas que precisam ser curadas destas enfermidades mentais, e citei estas por que são as mais comuns e que mais contribuem para uma falta de relacionamento sadio.




Comentários